pregnancy-4007350_1280

Aromaterapia na Gravidez, Parto e Pós-Parto

Óleos Essenciais são óleos naturais aromáticos obtidos por destilação e têm a fragrância característica da planta ou outra fonte de origem. Os Óleos Essenciais podem ser usados para muitas coisas, e eles estão sendo cada vez mais usados por mulheres  em todo o mundo durante a gestação, o parto e o pós-parto.

Se você se interessa por este assunto ou é um aromaterapeuta não pode deixar de adquirir o Curso ONLINE  Aromaterapia na Gestação Parto e Puerpério com a Prof Adriana Nunes Wolffenbüttel , aqui na ASTHA Cursos Especializados em Saúde e obter o Primeiro Protocolo Nacional para o USO SEGURO dos Óleos Essenciais na gestação, parto  e puerpério.

Os óleos essenciais podem ser usados para uma variedade de doenças e neste período em especial, eles estão se tornando cada vez mais comuns para o tratamento da ansiedade, de dores e falta de concentração, que acompanham a gravidez. Existem muitos, mas selecionamos aqui,  alguns que podem ajudar mulheres nestes períodos:

HORTELÃ-PIMENTA

O óleo de hortelã-pimenta pode ser útil para náuseas, dores de cabeça, congestão nasal e dores musculares. A inalação de óleo de hortelã-pimenta tem sido útil para mulheres no pós-parto, que têm dificuldade em urinar.

LAVANDA E ROSAS

Estudos apontam que a lavanda e os óleos essenciais de rosas podem diminuir a ansiedade no trabalho de parto. Sabemos que a percepção de dor pode diminuir quando a pessoa está em relaxamento. Como o olfato está fortemente ligado à memória, se a mulher experimentou relaxamento com o aroma da lavanda ou de rosas no passado, inalá-lo durante o trabalho de parto provavelmente vai ajudá-la a recordar essas experiências relaxantes.

Se você está grávida e gostaria de experimentar óleos essenciais, considere os itens abaixo:

  1. É recomendável que a gestante comece com uma gota do óleo essencial escolhido e aumente até três a cinco gotas com base em sua tolerância. A gravidez pode aumentar a sensibilidade ao olfato, e algumas mulheres podem achar a aromaterapia uma prática de aromas muito concentrados, podendo desencadear sintomas como náuseas, por exemplo. Tente colocar o óleo em um tecido ou bola de algodão para inalação, que pode ser facilmente removido se você não o tolerar bem.
  2. Evite colocá-lo diretamente sobre sua pele. Os óleos muitas vezes requerem um óleo transportador, como óleo de coco ou amêndoa, para diluí-lo e assim, evitar a irritação da pele.

Um aromaterapeuta qualificado pode dar mais detalhes sobre a preparação de óleos específicos.

  1. Não ingerir óleos essenciais durante a gravidez. Não há pesquisa suficiente para apoiar que isso seja seguro para seu bebê.
  2. O uso de aromaterapia na gestação, parto e puerpério requer a utilização segura dos óleos essenciais.

O Protocolo Nacional de Aromaterapia para o USO SEGURO dos Óleos Essenciais na Gestação Parto e Puerpério está ao seu alcance  no nosso curso ONLINE.

Fonte: Prof Adriana Nunes Wolffenbüttel. Química, Doutora e Pós-Doutora em Ciências Farmacêuticas. Autora do livro As Bases da Química dos Óleos Essenciais e Aromaterapia.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *