classroom-2093744_1280

Prevenção de surtos de gripe em comunidades escolares

O Blog desta semana da ASTHA Cursos Especializados em Saúde vamos abordar o vírus Influenza da gripe. Estamos na entrada do inverno na Região Sul do país, e a vacinação para a gripe está ativa para a população na Atenção Básica. 

A Influenza (gripe) é uma infecção viral dos pulmões e das vias aéreas por um dos vírus da gripe. Ela provoca febre, coriza, dor de garganta, tosse, dor de cabeça, dores musculares  e uma sensação de mal-estar geral. Importante conhecer as medidas de prevenção e também as medidas que podem ser implantadas nas escolas para prevenir a transmissão e contaminação no ambiente escolar.

O Curso SALA DE VACINAS está disponível ONLINE para Profissionais de Enfermagem. Garanta já o seu CERTIFICADO de 40 horas em sala de vacinação.

Medidas de prevenção:

  • Higienizar as mãos com água e sabonete/sabão antes das refeições, após tossir, espirrar ou usar o banheiro;
  • Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após tossir ou espirrar ou após contato com superfícies;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Proteger com lenços descartáveis a boca e nariz ao tossir ou espirrar para evitar disseminação de gotículas das secreções.

As escolas/creches devem buscar implementar medidas que diminuam a contaminação de objetos e ambientes tais como:

  • Prover dispensadores com preparações alcoólicas para as mãos e estimular os alunos a higienizar as mãos após contato com secreções respiratórias;
  • Prover lavatório/pia com dispensador de sabonete líquido, suporte para papel toalha, papel toalha, lixeira com tampa com acionamento por pedal, para o descarte de lenços e lixo;
  • Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços da escola (classes, cadeiras, mesas, aparelhos e equipamentos de educação física) após o uso;
  • O vírus da influenza é inativado pelo álcool a 70% e pelo cloro. Portanto, preconiza-se a limpeza das superfícies, com detergente neutro, seguida da desinfecção de soluções desinfetantes;
  • Estimular a utilização de garrafas de água individuais;
  • Em creches, lavar regularmente os brinquedos com água e sabonete/sabão;
  • Manter ambientes arejados;
  • Evitar o contato da criança doente com as demais. Recomenda-se que a criança doente fique em casa, a fim de evitar a transmissão da doença;
  • Alunos, professores, cuidadores e funcionários com síndrome gripal devem ser encaminhados para atendimento médico. 

Texto adaptado do Centro  Estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul. Imagem de Wokandapix por Pixabay

Por Gisele Cristina Tertuliano – Enfermeira e Cientista Social. Mestre e Doutoranda em Saúde Coletiva

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *